O Vlog do FIG (ou tudo de massa que vi por lá)

Muita gente me pergunta porque não aproveito as férias do meio do ano pra viajar ao invés de ficar em casa porque acham que o FIG é a mesma coisa todo ano. O Festival de Inverno de Garanhuns tá na minha vida desde que eu me entendo por gente e eu poderia passar o resto da vida só contando as inúmeras memórias boas que tenho dele. Nenhuma edição é igual a outra e nem vai ser. E sempre há formas de aproveitar ele de um jeito diferente ou trazer aquele amigo que nunca veio pra cidade/pro festival.

Ao contrário do que muitos falaram, o FIG foi um sucesso pra mim. Pude ver vários artistas que admiro em casa e de graça – normalmente teria que pagar pra ver um show deles e ainda me deslocar pra capital! – além das exposições, lojinhas, filmes e lugares que vi, senti e vivi. Foram quase dez dias de correria intensos (‘turistar’ de dia + festa a noite) que já deixou saudades por aqui. Infelizmente tem muita coisa que não fotografei por falta de atenção, até porque eu preferi curtir o momento sem precisar fazer tantos registros, mas mesmo assim esse post vai ficar enorme de tantas fotos! Vem comigo!

Era mais do que óbvio que eu não iria deixar de fazer um vídeo com registros dos lugares que passei e dos momentos legais que vivi. Aproveita a chance pra se inscrever lá no canal e deixar aquele jóinha maneiro no vídeo rs

 

 

Levando a @ pra conhecer a cidade rs

Incerteza Viva”, da 32ª edição da Bienal de São Paulo, que reúne trabalhos de nove artistas nacionais e internacionais. A exposição foi exibida na capital do estado de São Paulo durante o ano passado e em 2017 viaja o Brasil e o mundo. Garanhuns é a única cidade do Nordeste a ser escolhida para receber a mostra, coordenada pelo alemão Jochen Volz, em parceria com mais quatro curadores do México, África do Sul, Dinamarca e Brasil.

‘Projeto colaborativo desenvolvido pelos fotógrafos Iezu Kaeru e Eustáquio Neves, a mostra acabou sendo o resultado da interação entre os artistas e os personagens clicados: jogadores e jogadoras de futebol amador de bairros recifenses.’ (JConline)

FAZ TU de Arthur Braga e Caroline Lima: Exposição apresenta artefatos feitos com materiais de fácil acesso e que é possível fazer seus próprios móveis!

Pra mim, essa foi a exposição mais sensacional de todas! Vez ou outra faço uns DIY em casa, mas mesmo assim me surpreendi com a quantidade de material ‘comum’ que a gente despreza que pode se tornar algo incrível, bonito e dar aquele toque único dentro de casa. Super me inspirei e tô com várias ideias pra fazer no meu ap em Caruaru <3

Olho da Graxa de João Zara: a exposição retrata o backstage , lugar onde rola uma interação entre artistas e técnicos, mostrando ao público um ponto de vista diferente de grandes festivais. As fotos foram feitas com celular e editadas em apps livres.

Una Design Feira: mercadinho que rolou na Casa Galeria Galpão que reuniu várias marcas pernambucanas , buscando uma valorização do comércio local. Marcas que estiveram por lá: Manglier, Caqueira, Maria Ribeiro, Figa Ateliê, Aladê Acessórios, Contém Glitter, A capsula, Savina Store, Lamê Store, Cirandela, Banana Split Acessórios.

Por último mas não menos importante: o quão fantástico foi poder conhecer BaianaSystem (vulgo a banda que eu tenho uma admiração imensa!)???? Fica difícil colocar em palavras como foi mágico o carinho e simplicidade dos caras – parecia que eles tavam ali conversando e que a gente já se conhecia há anos rsrsrs. Gratidão mil 🌻 🌼 🌸 🌺

Por hoje é só, espero que tenham curtido o post tanto quanto eu gostei de relembrar tudo pra poder escrever por aqui. Até a próxima!

Beijos,

Jó.